Porto de Niterói

O Governo Federal, através do Decreto nº 16.962, de 24 de junho de 1925, concedeu ao poder público estadual autorização para construir e explorar comercialmente o Porto de Niterói, sendo desenvolvidas instalações que consistiam, a princípio, de um trecho de 100 m de cais e apenas um armazém de carga geral.

A partir de 30 de abril de 1976, nos termos do Decreto nº 77.534, o Porto de Niterói teve sua concessão extinta, sendo suas propriedades e atividades incorporadas pela Companhia Docas do Rio de Janeiro.

O Porto de Niterói opera, tradicionalmente, com importação de trigo para o abastecimento do Moinho Atlântico, localizado em suas cercanias.

Contudo, por estar situado na Baía de Guanabara, único acesso marítimo que permite a atracação de navios na capital do Estado do Rio de Janeiro, o porto possui, ainda, um bom potencial comercial a desenvolver, tanto no que se refere à ampliação de sua operacionalidade, atraindo novas cargas para o cais, como no atendimento de demandas específicas geradas no contexto da atividade econômica regional.

Ponteiros


Programação de Req.

Sujeito a alteração de acordo com horarios convencionados.